Tomada de posição dos Presidentes da CIM do Ave sobre a Guerra na Ucrânia.

 In Notícias

No passado dia 02 de Março, em reunião de Conselho Intermunicipal, os Presidentes dos Municípios que integram esta Comunidade Intermunicipal (Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela), manifestaram a sua tomada de posição sobre a Guerra na Ucrânia.

“A CIM do Ave tem vindo a acompanhar, com grande preocupação e tristeza, a trágica situação de conflito que se vive na Ucrânia. Estamos perante um atentado ao direito internacional e uma tragédia humanitária com repercussões imprevisíveis, que merecem a nossa firme condenação à Federação Russa. Na defesa dos valores da paz, solidariedade e de humanidade, pretende esta Comunidade Intermunicipal manifestar total solidariedade com o povo ucraniano”, salienta a referida deliberação.

Nesta mesma reunião, foi aprovado um Plano de Apoio Humanitário à Ucrânia, à escala Intermunicipal, que se consubstancia numa concertação institucional e de união de esforços, entre os oito municípios, sociedade civil, entidades públicas e privadas, da região do Ave, entidades governamentais e não governamentais nacionais e internacionais, na provisão de ajuda humanitária à Ucrânia, de forma a que este apoio seja de facto planeado, articulado, efetivo, eficaz e que vá de encontro às reais necessidades do povo ucraniano.

Para o efeito, foi criado um grupo de trabalho, de forma a concertar as diversas ações, que já se encontram a ser desenvolvidas e implementadas no terreno por diversos interlocutores.

No âmbito deste Plano de Apoio Humanitário à Ucrânia, destacam-se ainda:
i) as comunicações dirigidas à Embaixada da Ucrânia em Portugal, manifestando solidariedade e apresentando a total disponibilidade da CIM do Ave para ajuda e apoio humanitário; ao governo português, disponibilizando-se para colaborar na definição de uma estratégia humanitária conjunta, nomeadamente, mobilizando as autarquias e os seus recursos para o reforço das condições de acolhimento em Portugal;
ii) o Plano de apoio à integração e acompanhamento dos refugiados, nomeadamente às mulheres e crianças/jovens, em interligação com as escolas e as diversas entidades no setor do emprego e mercado de trabalho, envolvendo, se possível, a comunidade ucraniana residente no Ave;
iii) Elaboração de um Welcome Kit – Guia de Acolhimento a Refugiados;
iv) Dinamização de uma Campanha de Recolha de Sangue no Ave;

Salienta-se, ainda, que tudo o que diz respeito à recolha de bens, disponibilização de alojamento, transporte, oferta de emprego, se encontra concentrado nas autarquias, pelo que se aconselha a consulta da respetiva informação nos canais de comunicação de cada um dos municípios da respetiva área de abrangência.

É também preocupação dos responsáveis máximos destas autarquias, que todos os bens rececionados, na impossibilidade de serem transportados para os campos de refugiados, possam ser encaminhados e distribuídos na região, na fase de acolhimento às famílias ucranianas e/ou a outras famílias carenciadas.

Os Presidentes dos Municípios que constituem a CIM do Ave, declaram, desta forma, todo o seu apoio e solidariedade à Ucrânia, neste momento dramático da sua história.